“Vem pra fora!”

Estas palavras, que Jesus com voz firme direciona a seu amigo Lazaro chamando-o de novo a vida, deram impulso à missão que, domingo 4 de outubro, 60 jovens da Cmv de São Paulo vivenciaram nas ruas, praças, ônibus e metrôs da cidade. O desejo deles era doar um simples sorriso, a escuta, um abraço, uma palavra amiga e além disso fazer às pessoas que encontravam um desafio de amor, algo que elas teriam que cumprir, visando difundir a alegria ao seu redor e tornar-se um canal do bem.

No final do dia se formou um círculo grande na Praça da Sé, feito pelo jovens e os novos amigos encontrados, entre eles vários moradores de rua. Um deles falou: “A coisa mais linda é que a gente se reconhece”.

Muitas foram as repercussões dos jovens depois deste dia tão abençoado:

"Nem deu tempo de agradecer todos vocês, aos que estávamos e que não estávamos. Muito obrigada!!! Hoje vai ser bem difícil pra mim entrar no trem e metrô e lembrar de todo o que vivemos. Mesmo que na simplicidade quero continuar a fazer a diferença".

 

"Sem entender, Deus coloca as pessoas em nossos caminhos, esse da foto é um morador de rua que encontramos ontem enquanto realizávamos o “Vem pra fora” era nítido que ele estava alterado devido as drogas. Agora no meu horário de almoço encontrei-o novamente, só que dessa vez ele estava tranquilo, não tinha usado nada, comprei um lanche pra ele e logo percebi que os olhos dele se encheram de lagrimas e automaticamente os meus também. Ele se chama Alex, um homem cheio de SONHOS e DESEJOS, mas que por consequência das drogas não consegue realiza-los. Meu coração está gritando, sem entender o motivo de tudo isso... Peço a Deus que me dê clareza para entender o que esse simples homem quis me transmitir..."
E que possamos continuar a nos desafiar a conhecer o coração do outro!

Do coração duma jovem nasceu também um poema:

Multi talentos.

Multi sonhos.

Mundo feroz.

Os olhos sem vida, não tenho saída,

Ninguém pra ouvir minha voz.

No peito um apelo.

Hoje vivo um pesadelo.

Mas já é chegada a hora.

Um irmão me amou,

um presente eu sou.

Agora ouço Jesus me dizer: “Vem pra fora!”