Nos próximos meses, três missionárias e dois missionários da nossa Comunidade partirão em missão à Etiópia, o mais antigo país independente da África e uma das regiões consideradas berço da humanidade


A Etiópia é um mosaico de povos, de religiões, de culturas e de tradições. Aqui os paleontologistas descobriram os restos fossilizados de Ramidus, o ancestral de Lucy, que remonta a cerca de 5 milhões de anos atrás. 

A paisagem fascinante: dentro do país existe um vasto complexo de montanhas e planaltos, dividido pelo Vale do Rift, que atravessa o país e é cercado por terras baixas, estepes e áreas semi-desérticas. A grande diversidade geográfica determina uma grande variedade de climas, solos, vegetação natural e áreas habitadas.

 


As Línguas - O amárico é a língua oficial da Etiópia, de origem semítica, ligada ao hebraico e ao árabe. Todo mundo fala sobre o amárico em certa medida, independentemente da sua língua materna. A língua escrita utiliza o alfabeto ge'ez. O inglês é estudado como uma língua secundária junto com o amárico e é a língua principal usada para assuntos externos. Além da língua oficial, o amárico, muitas outras línguas também são faladas, incluindo: Oromonic, Somali, Tigrin, Sidama.

A população - compreende mais de 80 grupos étnicos. Na área onde a Comunidade Missionária atuará a maioria da população é muçulmana. Os católicos são 0,03%. Em outras áreas do país existem grandes comunidades cristãs ortodoxas.

 


Uma cultura milenar - A riqueza cultural deste país também emerge de algumas particularidades. Por exemplo, o fato de que o calendário etíope ainda está em uso, que remonta ao calendário copta de 25 aC. e que se desenvolve em 12 meses de 30 dias e um décimo terceiro mês de cinco ou seis dias ("Treze meses de sol" é uma das invocações para as promoções turísticas).

O novo ano começa, em comparação com o calendário gregoriano, em 10 ou 11 de setembro, com 7 a 8 anos de atraso (em 11 de setembro de 2007 a Etiópia celebrou a véspera de Ano Novo para o ano juliano de 2000).


Presença dos missionários da CMV

Os missionários serão chamados a testemunhar com suas vidas o Evangelho e também assumirão projetos de promoção e desenvolvimento social, dada a pobreza da região. Eles foram convidados a assumir este novo serviço pelo pe. Angelo Antolini, Prefeito Apostólico de Robe. A CMV se estabelecerá na área de Kofele, capital de uma província ao sul do país. 

A cidade está em um planalto a 2.670 acima do nível do mar, tem 16.000 habitantes e está a 270 km da capital, Adis Abeba. O clima é típico das montanhas, com noites particularmente rígidas nos meses de inverno, quando as temperaturas caem a um pouco abaixo de zero graus. 

A presença da Igreja Católica em Kofele data de 1998, quando os missionários da Fidei Donum de Mântua, da vizinha Jigessa (25 km), começaram a organizar as primeiras atividades.

Aqui estão os missionários que estão se preparando para partir para a Etiópia:


Saiba mais sobre a Etiópia, a terra da nova missão

Para apoiar a nova missão da comunidade na Etiópia