No dia 02/03/2016, na Paróquia São Sebastião – Betânia, aconteceu a primeira palestra de uma série de encontros sobre a Misericórdia do Pai.

O primeiro palestrante foi Dom Edson, bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte, que foi muito bem acolhido por todos os presentes, que em bom número, vieram escutar a voz do nosso pastor.

Dom Edson nos falou, de forma simples e profunda, sobre misericórdia e o sacramento da reconciliação. Ele começou se referenciando ao Papa Francisco, que desde o início do seu pontificado, vem destacando e enfatizando em suas pregações e ações, a misericórdia divina. Ainda sobre o Papa, Dom Edson destacou que o ano da misericórdia foi anunciado no dia 11de abril de 2015, véspera da festa do domingo da Misericórdia. Festa esta que tem origem na devoção do Papa João Paulo II à Santa Faustina, porta-voz da misericórdia de Jesus. Neste dia o Papa Francisco disse que o ano santo da Misericórdia começaria no dia 08 de dezembro deste mesmo ano, data que se comemoraria os 50 anos do início do Concílio Vaticano II, e que terminaria no dia da festa de Cristo Rei de 2016, data que se comemorará os 35 anos da encíclica do Papa João Paulo II sobre a Misericórdia (http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_30111980_dives-in-misericordia.html  ) .

Esta encíclica, dentre os seus tópicos principais, destaca a criação divina onde o Papa João Paulo II nos pede de não fazermos a experiência do mal. Foi esta experiência que levou Adão e Eva a pecarem e serem expulsos do paraíso. Adão e Eva, consequentemente todos o homem, querem fazer a experiência do mal para se parecerem com Deus. Nisto consiste o pecado. E ao cair no pecado, o homem perde seus dons sobrenaturais. Porém, Deus em sua infinita misericórdia envia-nos seu único filho para nos salvar e nos perdoar e, assim, restaurar a humanidade com todos os seus dons, inclusive os sobrenaturais.

Dom Edson continua e nos questiona. Porque um ano dedicado à misericórdia? Porque o Papa Francisco teve esta iniciativa? Para que possamos todos fazer a experiência do bem, do amor, a experiência de viver e mergulhar na misericórdia divina!

Hoje, nos diz Dom Edson, não temos uma referência. Vivemos uma vida descartável, das notícias efêmeras, descartáveis, da vida sem valor, sem perspectiva, sem se importar com o outro, com o nosso próximo.

O Papa Francisco quer que façamos uma experiência do encontro com o outro, de irmos ao encontro dos mais necessitados, dos pobres, de sermos missionários da misericórdia. Mas antes de irmos levar esta misericórdia, temos que vivê-la. Temos que praticá-la. Como? Vivendo as obras de misericórdia, praticando o amor, a caridade, a vida de oração, as penitências. As obras de misericórdia, nos diz dom Edson, devem começar dentro de casa!

A Misericórdia é o carinho que Deus tem por nós. Por isto, temos que ser gratos a Deus e expressar esta gratidão em nossas orações diariamente. Tudo que sou e que tenho é obra da graça e da misericórdia divina. Meus filhos, minha família... Quantas maravilhas Deus fez em nossas vidas!