Neste domingo, 13 de março, foi celebrada a missa de envio da missionária Maria Auxiliadora, presidida pelo pároco Pe. Sérgio, na paróquia Santa Rosa de Lima, em Sarzedo, na região metropolitana de Belo Horizonte. A celebração foi muito alegre e participativa onde os paroquianos acolheram com muito carinho a esta irmã e a todos que vieram celebrar com ela.

Maria Auxiliadora no final deste mês irá a Maputo, capital de Moçambique, dedicar um ano de sua vida aos irmãos africanos. Ela irá fazer a experiência de deixar a família, o pai, as irmãs, os irmãos, para anunciar que Deus é bom, que tem como única família a humanidade inteira e se tornar irmã das pessoas que vai encontrar. Se deixará enviar pela misericórdia e se tornar “missionário da misericórdia” como o Papa Francisco tanto tem insistido.

Moçambique é dos países mais pobres do mundo, segundo o índice de desenvolvimento humano, e que pouco conhecemos.  Ciro e Luciana, casal missionário da Comunidade, para ajudar a conhecer um pouco mais este país, partilharam a experiência que fizeram no ano passado de passar quase um ano lá com toda sua família.

“Fomos com toda a família, com filhos jovens e adolescentes. O Pedrinho nasceu na África e colocamos o nome de Pedro Werhu, que na língua local significa ‘nosso’. Nosso Pedro. A experiência foi uma experiência de família. Um povo lindo, cheio de vida, acolhedor, batalhador e amigo. Povo ao qual nos apaixonamos. Estão reconstruindo o pais que há pouco conquistou a democracia onde quase metade da população é analfabeta. Todas as escolas ao redor da paroquia não tem cadeiras e as crianças se sentam no chão. Muitas não tem nem sala de aula. Os centros de saúde não possuem médicos, experimentam muita fome e muitos desafios. Fomos sem grandes sonhos, somente com o desejo de ficar próximos. Nos tornar irmão entre irmãos”.

Maria Auxiliadora também partilhou seus sentimentos. “Vou com o coração cheio de alegria e gratidão. Agradeço pela família maravilhosa que tenho, o que meus pais nos ensinaram, os valores e o caminho de Deus. Vou de coração aberto para acolher e amar o povo e fazer sempre a vontade de deus”.

Pe Federico, que concelebrou a celebração, lembrou que todo batizado se torna missionário com a força do batismo. Então ele convidou a todos a acompanharem com orações, interesse e abertura do coração estes passos dados pela Maria Auxiliadora lembrando que, quem se dispõe a ir longe não é para dar saltos, mas é para dizer que ama a todos daqui, os que estão próximos, até os que estão do outro lado do mundo.