As vinte e quatro horas com Jesus é uma proposta do Papa Francisco para este ano Jubilar da Misericórdia que reflete o “Deus rico de misericórdia” (Ef 2,4), com o objetivo de dedicarmos mais à oração, principalmente no período da Quaresma, para que entendamos a sua importância e relevância na nossa vida Cristã.

Às 19h30min do dia 4 de março, sexta feira, em comunhão com toda a Igreja, na paróquia São Sebastião Betânia vivemos essa experiência da presença de Cristo Eucarístico durante 24 horas. Foram momentos de adoração e animação, além da disponibilidade de padres para confissão todo o tempo. No sábado de manhã também houve um grupo que chamamos de “sentinelas” convidando pessoas para participar deste (re)encontro com Cristo.

Todo este momento foi organizado por dois grupos de jovens, o EJC (Encontro de Jovens com Cristo) e o GimVi (Grupo Interparoquial Missionário de Villaregia), que se uniram para poder pensar um encontro que tocasse o coração de todos e nos lembrasse quão grande é a misericórdia de Deus.

A seguir dois testemunhos de jovens que participam dos grupos mencionados anteriormente:

  • Como expressar o amor e a doação de muitos jovens durante as 24 horas com Jesus? Foi lindo sentir a presença de Cristo Eucarístico e experimentar desse amor misericordioso e gratuito, que era visível nos olhos de todos que ali passaram; seja por alguns minutos ou até mesmo por horas. Recordo-me, que na Jornada Mundial da Juventude em 2013, pude sentir essa mesma alegria, onde jovens de todas as idades, de diferentes grupos e países, buscavam mostrar a importância de declarar o nosso amor ao Deus Pai maravilhoso, rico em misericórdia para toda juventude do mundo. E assim, nestas 24 horas com Jesus, podemos levar para toda a nossa comunidade e aos nossos irmãos de caminhada, esta experiência profunda de intimidade com Jesus, independentemente a qual grupo pertença!

Ana Luisa Rivelli de Resende 

  • Como parte da organização do encontro vi a tamanha dedicação de todos os jovens e como os grupos se uniram (EJC e GimVi), que superaram todas as dificuldades e diferenças para proporcionar a presença de Cristo na vida dos outros, seja através da animação, música, confissão ou intercessão. E durante todo o tempo que estive presente pude notar como a presença Dele era forte, e como era bonita a demonstração de amor das pessoas através de orações em voz alta, pelo olhar, ou até mesmo com as lágrimas. Um gesto que me tocou muito foi a presença da minha família, mesmo não sendo católica, e foi aí que me dei conta que era o olhar misericordioso de Cristo sobre nós, apesar de tudo que estamos passando. E ao chegar em casa notei que o ambiente era de paz e tranqüilidade, e que todas aquelas cinco horas diante Dele teve um resultado imediato na minha vida.

Rafaella Moura